domingo, 16 de janeiro de 2011

Ausente

"...algures perdida...houve a esperança...o querer acreditar num novo amanhã, com mais luz...
Cegueira de uma coragem ...que imobiliza as mãos para libertar os medos de uma prisão sem grades...
Silêncios cada vez mais intensos...e o querer sentir uma mudança inexistente...
O acreditar é apenas um verbo conjugado numa ilusão perturbadora...sem convicções...
Eu...serei sempre eu...
a ausente..."

In Crónicas do Invisível

3 comentários:

@zulebranco disse...

Bom dia,
Um dia ainda te encontrarás...mesmo sem saber dos medos, dos silêncios das prisões...constacto que quem é vivo sempre aparece....e como o cantor diz "para quem sorri há sempre um amanhã"
Sorriso Grande e aberto.

@zulebranco disse...

montes de saudades de te ler
Sorriso grande e rasgado,
Sê feliz

Black Cat disse...

:) Olá @zulebranco!! Há quanto tempo! Muito obrigada! Retribuo com um enorme sorriso de felicidade e poderá visitar-me na página do facebook do livro "Imperfeita Lucidez" ;)!
Bem haja